João Miguel, meu filho, já mandei vc parar de crescer!

João Miguel, meu filho, já mandei vc parar de crescer!
Quando o seu pai chegar eu vou contar pra ele q vc já não cabe mais naquele casaco q a gente nem acabou de pagar! Vc vai ver só… Onde já se viu? Não cabe mais no macacão de pezinho, no bb conforto, no berço, no carrinho de bb, no colo, no… Q mania de grandeza, menino! Onde é q isso vai parar?

João Miguel, meu filho, eu já mandei vc parar de crescer!
As crianças de hj em dia não respeitam mais os pais… Ai de mim, se na minha época eu desobedecesse a sua vó! Ai de mim! Quer mexer no celular, usar o computador… Eu na sua idade usava os dedos pra fazer cosquinha. Ou tirar meleca!

João Miguel, meu filho…
(Vê se pode? O menino inventou de crescer!)
O q é q vc quer da vida? Morar sozinho? Estudar no exterior?
Vai, vai lá, cresce mesmo! Mas ó, depois não chora quando eu der os seus brinquedos pras crianças do orfanato. Não vou guardar nem unzinho. Nenhum!
Tá.
Vou guardar uns poucos. Só pra vc rir de mim quando vier me visitar. Vão ficar na prateleira, perto daquele armário q eu guardo a sua saída da maternidade, a roupa do batizado e teu dentinho.
.
.
.
.
.
.

João Miguel, meu filho, fiz o bolo q vc gosta, dirige com cuidado, liga quando chegar em casa… Vc devia ter me ouvido!

Anúncios